sexta-feira, 24 de outubro de 2014

A arte do amor





Era uma vez, uma menina chamada Catarina Williams. Ela sempre levou uma vida triste, com poucos amigos, humilde e com uma autoestima muito baixa.
Certo dia, ela encontrou seu talento: desenhar. Fazia pinturas e desenhos incríveis, que deixava todos os seus colegas de queixo caído. Aí, Catarina começou a passar horas extras na sala de artes de sua escola. Lá, era seu refúgio, sua inspiração e sua motivação.
Ela sempre deixava seus desenhos um cantinho escondido, onde assinava apenas de C.W.
Num dia, Catarina estava desenhando sozinha na sala, quando foi surpreendida.
- Oi. Ah, desculpe, não te vi aqui. 
 Ela ficou perplexa. Era o garoto bonito que estudava na turma do lado!
- Tudo bem. - conseguiu dizer. - Eu não me importo.
- Como é seu nome? - ele perguntou.
- Catarina. E o seu?
- George. Prazer em te conhecer. - ele sorriu, puxando uma cadeira. - Ei, esses desenhos são seus?
- Ah...- ela hesitou por um momento. Será que eram bons o suficiente? - Sim. 
 Ele ficou boquiaberto.
- São incríveis! Catarina, você desenha muito bem! - exclamou.
Ela corou. 
- Que nada. São normais.
 - Olhe os meus. - George colocou uma pilha de folhas na mesa. - É para um trabalho do meu curso, acho que vou começar a vir aqui... Você me ajudaria?
- Claro. - Catarina sorriu.
E assim foi. Todos os dias, depois da aula eles se encontravam ali. Catarina começou a ter sentimentos fortes por ele. Estava quase tendo certeza que estava apaixonada, quando descobriu que nada aconteceria entre eles.
- George! - entra uma garota na sala e o abraça. - Ainda trabalhando nisso?
- É, sim...
- Quem é ela? - a menina perguntou, dando um olhar que Catarina considerou venenoso.
- Ela é a Catarina, está me ajudando no trabalho. Ca, essa é Candy Wood, minha namorada.
O coração de Catarina se despedaçou ao ouvir a palavra "namorado". Aí, ficou no fundo do poço. Maldição! Quando ela encontrava alguém legal na qual vale a pena, dá nisso. Injustiça.
A partir daí, Candy começou a frequentar a sala de artes com eles, mas seus desenhos eram horríveis. E então, Catarina decidiu parar de ir. Só que cometeu um grande deslize ao deixar seus desenhos lá...
Ela faltou exatos três dias de aula por ter ficado doente. E, justo no dia que foi, começou a confusão.
Havia um concurso de artes naquele dia, onde os alunos produziram as obras e apresentariam para a escola inteira. George convenceu Catarina a participar. Porém, quando ela chegou na sala de artes para pegar seus desenhos... Eles não estavam mais lá.
Ela começou a ficar desesperada e chorou. Seus desenhos, seus sentimentos, seu talento... Sua vida.
De repente, George entra na sala com cara de quem viu um fantasma.
- Ca, você precisa vir comigo! - Ele a pegou pela mão e a puxou, o que fez seu coração acelerar.
Chegando no auditório, onde estavam acontecendo as exposições das obras, Catarina ferveu de raiva e alívio ao mesmo tempo. Sim, seus desenhos estavam lá. E sim, estavam sendo apresentados por Candy Wood.
Eles correram até o palco, onde ela estava. Por impulso, Catarina gritou:
- Esses desenhos são meus!
- Candy... - George estava pasmo.
Candy riu.
- O quê? Não está vendo minhas iniciais, C.W.? Candy Wood, querida.
- Catarina Williams. - ela falou.
- Ops, parece que temos um equívoco. - a professora disse.
- Deixe-a provar que é dela. - Candy cruzou os braços e ergueu o queixo.
- Me dê um lápis e um papel, vamos ver quem faz melhor. - Catarina disse, pois sabia que Candy era péssima em desenhos e com certeza conseguiria provar que as obras eram delas.
Candy ficou branca. Enquanto todos gritavam em nome de Catarina, George fez algo que a surpreendeu.
- Vamos lá. Você consegue.
- O quê, George? Apoiando ela?
- Você é uma mentirosa. Isso não é justo. - ele disse.
Candy começou a chorar, pois não conseguia de jeito nenhum desenhar bem. No final, ela saiu do palco e Catarina ergueu seu desenho, sendo aplaudida por todos. Era a melhor sensação que ela já havia experimentado: ganhar mérito pelo seu talento.
E aí, as coisas só melhoraram. Ela ganhou mais reconhecimento, George terminou com Candy, resultando que ele e Catarina estavam bem mais próximos. Cada vez mais demonstrava gostar mais dela, e certo dia veio a confirmação.
- Ca, tenho uma surpresa! - disse ele, quando ela chegou na sala de artes.
- O que é? - ela perguntou, curiosa.
George fez um mistério e revelou um desenho de duas pessoas pintando um quadro juntas, com as mãos entrelaçadas.
- Que lindo! Mas... Quem são?
Ele se aproximou.
- Somos nós.
Eles se olharam por uns segundos, até ele a beijar. Catarina se sentiu leve como uma pluma. E sim, estava cada vez mais apaixonada por ele.
No final, ficaram juntos, desenhando mais e mais e mostrando seus talentos ao mundo. Juntos, tinham tudo para fazer sucesso e, principalmente, mostrar a arte do amor para todos que tivessem dispostos a ver... E sentir.

***Conto feito por mim. Sem cópias!***

Tentei deixá-lo menor porque no meu caderno deu 4 páginas huhaua. Ontem eu estava inspirada (bloqueio criativo foi embora \o/) e fiz mais um texto, que posto aqui depois.
Espero que tenham gostado!

Posted by: Lau

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Professores



(Snape ♥♥) 

(Texto especial para o dia do professor) 

Hoje é um dia especial, dia de uma das maiores profissões: a do professor.
Ser professor é criar uma base para o nosso futuro profissional, é amar os alunos e sempre fazer o melhor por eles. É responsabilidade, aprendizado e amor. 
Admiro muito todos os professores por sua paciência, sua dedicação para buscar sempre o melhor e sua persistência. 
Quero deixar meu muito obrigada a todos os professores que já fui aluna e parabenizar os demais. 
Parabéns a todos por exercer uma profissão tão bonita e importante! 


Posted by: Lau


quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Confiar


Oi gente! Tudo bem? Então, vocês viram que o blog está com um visual diferente, bem mais organizado e bonitinho (espero que vocês tenham gostado). Sei que ultimamente não ando postando muitos textos (e eu tenho um mooonte para digitar), mas estava ocupada arrumando o layout do blog. Ah, e só avisando que estou planejando uma programação especial para o mês de novembro (um ano de lançamento de "O estilo da amizade" o/) e que vocês terão várias surpresas para comemorar esse mês especial :D. Ok, vamos ao texto agora. 

Muitas vezes, somos decepcionados pelas pessoas que menos esperamos, as que mais adoramos e confiamos. Porquê?
Creio que a confiança é a base de tudo. Quando decidimos confiar numa pessoa, estamos entregando parte de nós para ela. Isso é ótimo, só que ás vezes escolhemos as pessoas erradas. 
Confiar nos outros é muito relativo. Eu sou muito, muito desconfiada, por isso, as pessoas que eu realmente confio são poucas. Outra coisa que me ajuda nisso: a intuição. Sou muito intuitiva, sempre sei quando devo ou não contar algo que dependa da confiança. 
Enfim, o meu conselho é: não confie em qualquer um, mas também não desconfie tanto dos outros. Para saber em quem confiar, pense a analise: as pessoas que confiam em você são as que devem ter sua confiança.

Vale o conselho. :)

Posted by: Lau